Palestrantes

Profa. Dra. Karen B. Strier

Dept of Anthropology, University of Wisconsin, Madison - EUA


Atual presidente da International Primatological Society e detentora de diversos prêmios internacionais, sendo uma das únicas primatólogas na Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos da América, possui longa história de pesquisa com primatas e formação de recursos humanos no Brasil. Desde 1982 coordena em Minas Gerais os estudos de longo prazo de com muriquis-do-norte (Brachyteles hypoxanthus) – espécie endêmica da Mata Atlântica do sudeste do Brasil, atualmente classificado como criticamente em perigo de extinção (IUCN). Seus interesses de pesquisa incluem os estudos comparativos de socioecologia, ecologia comportamental e conservação de primatas neotropicais Atelídeos. Suas prioridades atuais concentram-se em estudos de longo prazo e ao entendimento das flutuações estocásticas demográficas e histórias de vida individuais que afetam o comportamento e a viabilidade populacional de muriquis-do-norte e a conservação da espécie.

Prof. Dr. Alcides Pissinati

Graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Fluminense


Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Fluminense (1970),pós-graduação em Saúde Pública pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1971), mestrado em Fisiopatologia da Reprodução e Inseminação Artificial pela Universidade Federal Fluminense (1977) e doutorado em Biologia Animal pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1998). Atualmente é chefe do Centro de Primatologia do Rio de Janeiro – CPRJ – GEFAU-DIBAP/INEA, professor titular do Centro Universitário Serra dos Órgãos. Vice Presidente da Academia Brasileira de Medicina Veterinária – ABRAMVET, Membro da Academia de Medicina Veterinária do Rio de Janeiro – AMVERJ. Tem experiência na área de Medicina Veterinária, com ênfase em Fisiopatologia da Reprodução Animal, Manejo Nutricional, Patologias em Primatas e Restauração e Conservação de Habitats

Profa. Dra. Phyllis C. Lee

University of Stirling – Escócia (desde 2006; University of Cambridge, Inglaterra (1990-2006)


Coordena os estudos de longo prazo com elefantes africanos em Amboseli, Quênia e está especialmente interessada em pesquisa comparativa em socioecologia e estratégias reprodutivas de elefantes e primatas selvagens. Áreas adicionais de interesse incluem traços biológico-evolutivos, longevidade, senescência e demografia de mamíferos; biologia da conservação; interação animal-homem e desenvolvimento sustentável: efeitos de gênero e atitudes humanas no sucesso de estratégias de conservação. Destacam-se entre seus projetos mais recentes: História de vida e longevidade em elefantes (com C. Moss e V. Fishlock, Projeto Elefantes de Amboseli, Kenya); Uso de métodos não-invasivos para avaliar a estratégia reprodutiva e a maturidade de babuínos cativos (com Dr. L. Rosetta – CNRS, Paris); Efeitos longitudinais das experiências anteriores na história de vida de elefantes (com Lizzie Webber, R.A., Stirling); Pesquisa e conservação de muriquis-do-sul na Mata Atlântica do Brasil (com Maurício Talebi, UNIFESP Diadema, SP, Brasil).

Dr. Stephen Nash e Luci

Dept of Anatomy, Stony Brook University, NY, EUA


Graduado pelo Departamento de Ilustração de História Natural do Royal College of Art em Londres.É o ilustrador científico da Conservation International, EUA desde 1989, com passagem anterior pelo programa de primatas da WWF. Produz imagens para publicações científicas e informativas na área de conservação biológica e praticamente todos os primatas foram retratados pela sua arte. É pesquisador visitante no Depto de Anatomia da Stony Brook State University, Estado de New York. Detentor de diversos prêmios, em 2004 recebeu prêmio da American Society of Primatologists em reconhecimento a suas excepcionais contribuições à primatologia. Sua arte tem aparecido em um grande número de artigos científicos e de mídia com ampla divulgação, sendo o principal ilustrador artístico de primatas da atualidade.

Prof. Dr. Richard Koch

Royal Veterinary College, Londres, Inglaterra


Médico veterinário, pesquisador e conservacionista especializado em vida selvagem. De 1983 a 2010 foi vinculado à Sociedade de Zoológicos de Londres (ZSL), trabalhando em medicina animal entre 1983-1990 no Reino Unido e fora do Reino Unido de 1991 a 2006. Entre 1991 e 1998 em Nairóbi, implementou um novo Departamento de Veterinária, atuando em saúde aplicada a animais selvagens de vida livre, em parceria com autoridades de manejo de vida selvagem (Kenya Wildlife Service). De 1999 a 2005, trabalhou no African Union Inter African Bureau for Animal Resources (AU-IBAR) em pesquisas sobre peste bovina e outras doenças infectocontagiosas transmissíveis entre humanos, animais domésticos e selvagens. Em 2011, tornou-se representante da cadeira de Doenças Emergentes no Departamento de Patologias e Patógenos do Royal Veterinary College, em Londres. Um dos precursores da iniciativa One Health e na promoção da agenda de saúde na área ambiental e de animais selvagens. Em 2013 tornou-se co-Diretor do curso de pós-graduação One-Health em uma parceria entre o Royal Veterinary College e a School of Hygiene and Tropical Medicine de Londres. Será sua primeira vinda ao Brasil.

MSc. Amely Martins

Centro de Primatas Brasileiros ICMBio; Doutoranda, na University of Texas, Austin, EUA


Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Mestre em Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos pelo Laboratório de Tecnologia Farmacêutica (UFPB). É Analista Ambiental do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Primatas Brasileiros (CPB/ ICMbio),. Desde 2013 executa seu doutorado pela Universidade do Texas, Austin (EUA), com foco no projeto “Genética da Conservação de Sapajus flavius: variabilidade genética, estrutura genético-populacional, filogeografia e relações filogenéticas”. Principais interesses incluem :Genética de Primatas, Biologia da Conservação, Bioinformática e Biologia Molecular

Dr. Tiago Falótico

Ciência Biológicas pela Universidade de São Paulo


É etólogo, formado em Ciência Biológicas pela Universidade de São Paulo, mestre e doutor em Psicologia Experimental (Comportamento Animal) pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Faz parte do Laboratório de Etologia Cognitiva do Instituto de Psicologia – USP. Participou como pesquisador pos-doc no projeto Primate Archaeology da University of Oxford, onde recentemente liderou ou participou de diversas publicações importantes com Sapajus Atualmente atua e lidera o projeto de pesquisa “Ontogenia do uso de ferramentas em grupos de macacos-prego (Sapajus libidinosus) no Parque Nacional Serra da Capivara-PI”.

Prof. Dr. Leonardo Oliveira

Ciências Biológicas


Possui graduação em Ciências Biológicas, Licenciatura Plena, pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1994), Mestrado em Ecologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2001), doutorado em Biologia pela Universidade de Maryland nos Estados Unidos (2010) e Pós-doutorado (CAPES/PNPD) no Departamento de Ecologia da UFRJ. Atua principalmente nos seguintes temas: Primatas, Pequenos Mamíferos, Mata Atlântica, Agrofloresta e Conservação. Atualmente é Professor Adjunto 4 do Departamento de Ciências da Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP-UERJ).

Prof. Dr. Gustavo Canale

Ciências Biológicas pela Universidade de Brasília


Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de Brasília (2000), mestrado em Biologia pela Universidade Federal de Goiás (2003) e é PhD em Ecologia e Conservação pela Universidade de Cambridge (Inglaterra). Tem experiência na área de Zoologia de Vertebrados e Ecologia, com ênfase em Biologia da Conservação, atuando principalmente em trabalhos com mamíferos de médio e grande porte nos seguintes temas: Biologia da Conservação, Ecologia da Paisagem e Comportamento Animal.

Profa. Dra. Zelinda Hirano

Coordenadora do Projeto Bugio Indaial


Coordenadora do Projeto Bugio Indaial, que fundou há 25 anos, possui graduação em Ciências Biológicas, Modalidade Médica, pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Barão de Mauá (1983). Mestrado em Bioquímica pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (1988) e Doutorado em Biologia Comparada pela Universidade de São Paulo (2004). Atualmente é professora tempo integral pela Fundação Universidade Regional de Blumenau. Tem experiência na área de Bioquímica e Comportamento Animal, atuando principalmente nos seguintes com Alouatta clamitans, Alouatta caraya e Comportamento. É fundadora e coordenadora do Centro de Pesquisas Biológicas de Indaial (CEPESBI) – Projeto Bugio- e Tutora do Programa de Educação Tutorial – PET/Biologia/FURB.

Profa. Dra. Maria Clotilde Tavares

Licenciatura em Psicologia


Possui graduação em Licenciatura em Psicologia pela Universidade Federal da Paraíba (1989), mestrado em Psicologia pela Universidade de Brasília (1993) e doutorado em Psicologia (Neurociências e Comportamento) pela Universidade de São Paulo (2002). É bolsista de produtividade (PQ2) do CNPq e professora Associada, nível II do Departamento de Ciências Fisiológicas do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade de Brasília do qual foi chefe nos últimos dois anos. É coordenadora do Centro de Primatologia (criadouro científico de primatas da fauna brasileira credenciado pelo Ibama para fins de pesquisa) do mesmo Instituto. Tem desenvolvido projetos de pesquisa nos quais tem investigado em humano e em primatas não-humanos tem desenvolvido estudos particularmente com macacos-prego (Sapajus spp.), nas seguintes areas: 1) Funções cognitivas (memória operacional, memória emocional, memória espacial e tempo de reação) e percepção visual ilusória; 2) Efeitos da administração aguda e prolongada de testosterona sobre o comportamento sexual de fêmeas da espécie; 3) Variações hormonais associadas ao ciclo menstrual; 4) Ecologia comportamental e influência da disponibilidade de alimentos nas interações entre humanos e macacos-prego no Parque Nacional de Brasília, DF; 5) Caracterização de aspectos anatômicos de Sapajus sp. associado a aspectos comportamentais.

Anthony Brome Rylands


Após se formar em Zoologia na Universidade de Londres em 1973, iniciou sua carreira científica como pesquisador no Departamento de Ecologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA/CNPq), Manaus, em 1976. Durante o período 19771979 realizou um estudo de campo sobre o sagüi, Mico intermedius, em Aripuanã, MT: uma pesquisa pioneira para a Amazônia brasileira; o primeiro na natureza sobre a ecologia e comportamento de sagüis desse gênero; e o primeiro estudo de primatas selvagens na Amazônia brasileira. Em 1980, realizou um estudo comparativo com o mico leão de cara dourada, Leontopithecus chrysomelas, e o sagüi (simpátrico), C. kuhlii, em Una, sul da Bahia. Os resultados desses estudos foram apresentados como tese de doutoramento para a Universidade de Cambridge, UK, em 1982. Nos seguintes três anos, Rylands estudou o efeito da fragmentação da floresta na sobrevivência e densidades populacionais de seis espécies de primatas na área de estudo do Projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais (INPA/Smithsonian Institution); orientando nesse intervalo 10 estagiários. Em 19851986 chefiou o Departamento de Ecologia do INPA, e em março de 1986 assumiu o cargo de Professor Adjunto no Departamento de Zoologia da Universidade Federal de Minas Gerais, sendo um dos professores fundadores do curso de mestrado Ecologia, Conservação e Manejo de Vida Silvestre . Entre 1991 e 2005 foi Professor Titular na UFMG. Ele é Cientista Internacional Afiliado ao Wisconsin Regional Primate Research Center da Universidade de Wisconsin

Alessandro Pecego Martins Romano

Médico Veterinário


Formação: Médico Veterinário(UNIFEOB/SJBVSP/19911996) ; Especialista em Saúde Pública (CBMVHA/RJ/2005/CFMV/Resolução no. 693_296.12.2001); Mestre em Medicina Veterinária (UNESP/FACAV/Jaboticabal/SP_2002) Medicina Veterinária Preventiva (Titulo: Avaliação da
Importância da água utilizada na produção de leite como via de transmissão de Staphylococcus spp.). Doutor em Ciência Animal (EVZ/UFG/GO_20092012) Sanidade, Higiene e Tecnologia de Alimentos: Enfermidades de importância em Saúde Pública. Título: A vigilância de primatas não humanos e a febre amarela silvestre no Brasil?. Graduado pelo Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada ao SUS (EPI_SUS) “Field epidemiology training program (FETP)(CDC/Atlanta/US/2004_2006) Graduado do Programa “Certificado En Epidemiología a Gerentes de Salud” (JH2006_2007). Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health & Organização Pan Americana da Saúde Áreas de atuação: 1) Consultor técnico do Ministério da Saúde, responsável técnico do Grupo de Vigilância das Arboviroses, da Unidade Técnica de Vigilância das Doenças de Transmissão Vetorial, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis , Secretaria de Vigilância em Saúde, (SVS/MS), onde acumular a função de monitor e orientador de profissionais em treinamento do Programa de Epidemiologia Aplicada ao SUS (EPI_SUS); Coordenação Geral de Vigilância e Resposta (CGVR/DEVIT/SVS/MS). 2) Professor tutor do curso de Especialização em Análise de Situação de Saúde do Instituto de Patologias Tropicais e Saúde Púbica, Universidade Federal de Goiás (IPTSP/UFG/20152016).
3) Professor visitante da Faculdade de Agronomia e Veterinária (FAV) da Universidade de Brasília (UNB), disciplina de Doenças Infecciosas dos Animais Domésticos (FAV/UNB/2016). Atua ainda como pesquisador da área de vigilância de patógenos de importância em saúde pública; estratégias de vigilância de patógenos transmissíveis entre população humana e animal; colaborador em diversos estudos da área de arbovirologia & saúde pública.

Dr. Milton Thiago de Mello

Microbiólogo


Em 1946 doutorou-se em microbiologia pela Escola Nacional de Veterinária. Foi professor das universidades Federal Fluminense, de Brasília, Autônoma de Santo Domingo, de San Salvador, Universidade da Califórnia, do Instituto Oswaldo Cruz e do Colégio Militar. Thiago de Mello recebeu cerca de 20 distinções e prêmios, entre os quais, do Comité Français de l´Associaciation Mondiale Vétérinaire, The World Veterinary Epidemiology Society, da Sociedade Colombiana de Primatologia, The John Simon Guggenheim Memorial. Foi membro da Real Academia de Ciências Veterinárias, da Academia Nacional de Agronomia y Veterinaria, The American Academy of Microbiology e do The New York Academy of Sciences. É filiado a mais de 30 sociedades científicas, além de ter participado da fundação de 14 delas. Foi consultor da Organização Pan-Americana de Saúde e do Fundo das Nações Unidas para Alimentação. Com mais de 150 artigos científicos e técnicos publicados sobre brucelose, peste bubônica, micologia, infecção por via aérea, primatologia, conservação e ensino veterinário, é autor de algumas dezenas de livros e editor muito de outros.

Dr. José Albino Belotto

Médico Veterinário


Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Fluminense, especialização em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo e mestrado em Ciências pela Escola de Higiene e Medicina Tropical – University of London. Chefe da Unidade de Saúde Pública Veterinária e Diretor do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (PANAFTOSA), da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde-OPAS/OMS. Foi o primeiro Diretor do Centro Nacional de Primatas em Belém. No momento é o Secretário da Academia Brasileira de Medicina Veterinária.